Retorno às aulas: a aventura continua

Nesta quinta dia 15/02 tivemos início das aulas nas escolas públicas do estado de Santa Catarina. Como este ano o carnaval caiu mais cedo, o início do ano letivo...

Geral
Por: Colunista Geral
IMG-20180217-WA0086

Nesta quinta dia 15/02 tivemos início das aulas nas escolas públicas do estado de Santa Catarina. Como este ano o carnaval caiu mais cedo, o início do ano letivo começou após a maior festa popular brasileira. De certa forma para os professores e direção, as férias tem sido mais curtas nos últimos tempos; Todavia para os alunos a diferença entre o término e recomeço não tem se modificado muito prevalecendo em torno de 60 dias de férias. O interessante é que muitos alunos tem confessado que já estavam com saudades das aulas, do colégio, enfim de rever os colegas e a rotina do ano letivo.
Sabemos da importância das férias e recessos para os professores, momentos estes onde as baterias são recarregadas, o stres é equilibrado e a saúde física e mental é revitalizada. O ano de 2017 revelou um balanço complicado no que se refere a saúde mental de professores e alunos do estado de SC. O índice foi alto quanto ao número de atestado médicos e licenças de saúde. Por outro lado o stres e a depressão foram causa de muitas mortes por suicídios tanto de professores quanto de alunos. Tentando enfrentar esta problemática a secretaria de estado da educação, estabelece para 2018 uma atenção especial para programas de apoio às relações humanas, aos direitos humanos e diversidade, bem como a propostas de combate a violência e fortalecimento do caminho da paz.
Vivemos um período conturbado em nosso país, nos níveis políticos, sociais e econômicos. E o reflexo disso tudo está no truncamento das relações sociais e acirramento das opiniões principalmente nas redes sociais; Estas são responsáveis por muitas informações que abrem caminho para discussões ou brigas num terreno chamado opinião; Neste interregno se torna crucial o papel da escola, da academia ou universidade no sentido de estabelecer as diferenças entre informação e conhecimento, opinião e verdade, inteligência e memória e a relação disto tudo com a sabedoria, que no seu sentido mais profundo significa extrair o melhor de todas as formas de conhecimento para se colocar em prática e melhorar a vida para todos.
Precisamos urgentemente recuperar a universidade de Salomão, marcada pela sabedoria e pela compaixão entre nós humanos. Talvez, a maior inovação que mais precisamos, não seja um novo computador, um novo celular, aparelho ou carro tecnológico; Mas sim nos tornarmos profundamente humanos e reconhecer que somos todos um, isto é, um mesmo corpo na teia das relações sociais carregando no coração o mesmo sonho:” Amar e ser feliz”. Que 2018 possamos através da educação, recuperar o verdadeiro sentido da vida como bases no amor e respeito próximo! Um grande ano a todos!!
(Foto : professores e alunos da EEB j. Colodel na abertura do ano letivo)

José Pedro Idalino

Eu sou o professor Jose Pedro Idalino, e sou natural de Turvo, filho da capital Turvo Baixo. De 1979 a 1985 fui seminarista da Ordem dos servos de Maria. Me formei na PUC do Paraná em 1987 com licenciatura em Filosofia e bacharelado em História e psicologia. Iniciei minha carreira de professor, começando no Pedro Simon em Ermo depois Jorge Shultz e colégio estadual de Turvo atual EEB Joao Colodel, no qual estou a 29 anos e hoje atuo na direção do Colégio pela segunda vez. Trabalhei como professor também em escolas particulares como Objetivo, Energia e Universidades como Unisul, Unibave e Unesc. Na Unesc fiz pós graduação em História e Mestrado em Educação. Atuei como professor por 15 anos em cursos como História, Matemática, letras, arquitetura, enfermagem, Artes visuais, Psicologia, Engenharia de materiais, Pedagogia, Administração comercio Exterior e Direito.