Palestra para gestores da Gered -Araranguá

Na última segunda-feira 19/11, o auditório da Gerencia de Educação da ADR- Araranguá recebeu o Secretário Adjunto da Educação do Estado de Santa Catarina o prof Doutor Gildo Volpato....

Geral
Por: Colunista Geral
IMG-20181125-WA0019

Na última segunda-feira 19/11, o auditório da Gerencia de Educação da ADR- Araranguá recebeu o Secretário Adjunto da Educação do Estado de Santa Catarina o prof Doutor Gildo Volpato. Na ocasião esta manhã representou a conclusão do curso para gestores e representantes dos conselhos deliberativos das escolas. Com auditório repleto, a Gerente de educação Celina Hobbolt, abriu os trabalhos e apresentou o professor Gildo, o qual possui larga experiência tanto na educação básica quanto na universitária. Gildo que é professor da área de Educação física, possui doutorado em educação e atualmente está concluindo o pós doutorado. Foi professor de vários cursos na UNESC, bem como vice reitor e reitor desta Universidade. Atualmente é o secretário adjunto da SED, Conselheiro representante do Conselho Estadual de Educação Catarinense e professor do programa de mestrado em educação da UNESC, o PPGE. A convite da gerencia de Araranguá Gildo veio discorrer sobre a “autoridade do professor” ressaltando o papel e a importância da docência na atualidade. De forma dialogal Gildo provocou interessantes reflexões iniciando com a pergunta: ” e o que tem que ser feito por parte dos professores?”- Neste sentido Gildo reforça a importância de “dar direção, limites, combinar algo, fazer cumprir e cumprir com o que foi combinado. É proporcionar espaços de escolhas com responsabilidade. É dar exemplos de coerência ética, justiça e respeito. É ter atitude de educador, de adulto da relação”. O professor também salientou a importância da escolha do caminho da educação, que não é um caminho fácil, não possui soluções mágicas para se atingir o sucesso, mas que necessita-se continuamente da atualização da ferramenta que dá suporte ao trabalho de educador; ferramenta esta que se chama conhecimento. Muito da autoridade do professor passa pelo seu domínio em relação ao conhecimento que ele ensina. Outros pontos cruciais são metodologias e estratégias tão necessárias para atingir os objetivos propostos; neste contexto vale dizer que uma aula boa é aquela que atinge o coração e o cérebro dos alunos, que muda comportamentos levando a maioria ao aprendizado. Portanto, a rigor a autoridade do professor não lhe é conferida por decreto ou pela titulação, mas sim conquistada na experiência diuturna no chão da escola. Gildo foi enfático em afirmar que o professor que abdica de sua autoridade deveria deixar de ser professor, pois na missão docente se torna impossível realizar um trabalho de qualidade quando não se acredita no que faz ou pior ainda, não faz o que precisa ser feito, vindo a desqualificar o próprio trabalho. Portanto, além de ser detentor do conhecimento que se ensina, se faz necessário, ser honesto, criterioso, rigoroso(no sentido de ser fiel a verdade), humano, respeitador, bem humorado, ético e acima de tudo ser semeador de esperança na criação de pontes para a autonomia de nossos educandos. Sabemos que não é tarefa fácil ser professor na atualidade, e só aquele que exerce sabe os desafios que a a cada dia é preciso enfrentar; todavia não podemos esquecer que ser professor significa acima de tudo ser pai e mãe de todas as profissões que existem no mundo, pois todas elas precisam de um professor.
Parabéns portanto a iniciativa da Gered pela temática escolhida e parabéns ao Professor Dr. Gildo Volpato pela sua brilhante contribuição na reflexão sobre o trabalho docente. E parabéns aos professores que exercem sua profissão dignamente!!

Fontes( Prof. Dr. Gildo Volpato – palestra Gered, Prof.MSC José Pedro Idalino)

José Pedro Idalino

Eu sou o professor Jose Pedro Idalino, e sou natural de Turvo, filho da capital Turvo Baixo. De 1979 a 1985 fui seminarista da Ordem dos servos de Maria. Me formei na PUC do Paraná em 1987 com licenciatura em Filosofia e bacharelado em História e psicologia. Iniciei minha carreira de professor, começando no Pedro Simon em Ermo depois Jorge Shultz e colégio estadual de Turvo atual EEB Joao Colodel, no qual estou a 29 anos e hoje atuo na direção do Colégio pela segunda vez. Trabalhei como professor também em escolas particulares como Objetivo, Energia e Universidades como Unisul, Unibave e Unesc. Na Unesc fiz pós graduação em História e Mestrado em Educação. Atuei como professor por 15 anos em cursos como História, Matemática, letras, arquitetura, enfermagem, Artes visuais, Psicologia, Engenharia de materiais, Pedagogia, Administração comercio Exterior e Direito.