O dia “D” e a BNCC para a Educação

Nesta semana mais propriamente em 20/03 foi escolhido pela Sed como o Dia D, ou seja o dia de reflexões e debates  a cerca da Base Nacional curricular comum,...

Geral
Por: Colunista Geral
IMG-20180325-WA0069

Nesta semana mais propriamente em 20/03 foi escolhido pela Sed como o Dia D, ou seja o dia de reflexões e debates  a cerca da Base Nacional curricular comum, a nível de ensino fundamental e infantil. Como o município de Turvo nesta data estava em feriado pelo aniversário de emancipação, a Gered (gerencia de educação), deixou à escolha duas datas, podendo ser 19/03 ou 22/03 junto com a secretaria municipal de educação. Enquanto outros colegios (Morro Chato e Shutz) optaram pela data do dia 19/03, a EEB JOÃO COLODEL, optou por realizar a parte da tarde com os professores do município, porém na parte da manhã efetuou o debate com seus professores na própria escola. A formatação desta base decorreu de muitas conferências, debates e reflexões com muitos professores, especialistas e técnicos tanto em nível municipal, estadual e federal nos últimos anos. Em síntese esta base Comum contém dez competências básicas que servirão de suporte para reestruturaçao das propostas curriculares, dos PPPS, e dos currículos propriamente das escolas tanto publicas quanto privadas. Aprovada no final do ano passado pelo Conselho Federal de Educação do MEC, agora é posta para conhecimento por parte dos professores em todo o Brasil. Segundo o presidente do Conselho Federal de Educação,  Eduardo Deschamps, a nível de ensino infantil e fundamental, muito do que havia se manteve , sendo que dos assuntos mais polêmicos, como  a manutenção do  ensino religioso e questão de gênero, após extensos debates foi mantido o ensino religioso e excluído a palavra gênero para evitar confusões com a polêmica ideologia de gênero, sem contudo deixar de trabalhar os conteúdos necessários à compreensão da diversidade cultural em relação as diferenças de gênero. Todavia, no que tange as dez competências essenciais, se faz necessário a compreensão e o aprofundamento das mesmas para que em todo território nacional a educação  siga o  mesmo norte estruturante e desta forma coloque em prática as mudanças necessárias para uma nova Educação. De modo geral estas dez competências partem da valorização dos conhecimentos historicamente produzidos pela humanidade, em seguida propõe a utilização dos mesmos, bem como de todas as formas de linguagens e tecnologias digitais  de comunicação e informação. Propõe também a análise investigativa própria das Ciências e do universo da pesquisa, sem descurar da postura crítica, reflexiva e ética. Outras competências partem da consciência sócio ambiental a partir do cuidado de si mesmo (saúde física), do outro (empatia e respeito) bem como o cuidado com natureza e o planeta, evidenciando uma postura de comprometimento, solidariedade, autonomia e responsabilidade. Além de incentivar o respeito a todos os grupos sociais e seus diferentes saberes está reiterado de forma contundente a necessidade de combater os preconceitos de origem, etnia, gênero, idade,  habilidades/necessidades, convicção religiosa ou de qualquer outra natureza. Portanto, com a aposta nas competências e habilidades a serem desenvolvidas pelos professores em todo o Brasil, se pretende alcançar uma nova forma de ensino – aprendizagem  que ao mesmo tempo seja significativa e transformadora. Que assim seja!!

(Fonte de pesquisa: Portal do MEC, Portal SED- SC)

 

José Pedro Idalino

Eu sou o professor Jose Pedro Idalino, e sou natural de Turvo, filho da capital Turvo Baixo. De 1979 a 1985 fui seminarista da Ordem dos servos de Maria. Me formei na PUC do Paraná em 1987 com licenciatura em Filosofia e bacharelado em História e psicologia. Iniciei minha carreira de professor, começando no Pedro Simon em Ermo depois Jorge Shultz e colégio estadual de Turvo atual EEB Joao Colodel, no qual estou a 29 anos e hoje atuo na direção do Colégio pela segunda vez. Trabalhei como professor também em escolas particulares como Objetivo, Energia e Universidades como Unisul, Unibave e Unesc. Na Unesc fiz pós graduação em História e Mestrado em Educação. Atuei como professor por 15 anos em cursos como História, Matemática, letras, arquitetura, enfermagem, Artes visuais, Psicologia, Engenharia de materiais, Pedagogia, Administração comercio Exterior e Direito.