O conflito entre duas éticas

Não pretendo aqui discorrer sobre os muitos significados atribuídos ao conceito de ética, ou sua relação com a moral e as virtudes. Sabemos que num sentido profundo, a moral...

Geral
Por: Colunista Geral
IMG-20180203-WA0001

Não pretendo aqui discorrer sobre os muitos significados atribuídos ao conceito de ética, ou sua relação com a moral e as virtudes. Sabemos que num sentido profundo, a moral num campo mais subjetivo, e a ética num campo objetivo são na realidade complementares. Não existe um mundo sem “MORIS”(costumes, hábitos, tradições, regras, etc), nem um mundo sem “Ethos”(reflexão sobre a moral, caminhos para virtude, etc).
Procuramos aqui estabelecer uma distinção entre duas éticas que historicamente tem influenciado o comportamento dos seres humanos.
A primeira ética (não na ordem cronológica),se refere ao escritor renascentista Nicolau Maquiavel, a partir de sua obra ” O Príncipe”: – a ética maquiavélica, em cujo postulado, o ” Fim justifica os meios”, ou os meios seriam justificados pela sua finalidade.
A segunda ética, vem da antiguidade, mais propriamente da Grécia antiga com o filósofo Aristóteles, em cuja obra “Ética a Nicomaco”, coloca a ética como determinante da finalidade suprema: a felicidade ou eudaimonia, a qual seria constituída pelo justo caminho do meio, ou seja da virtude guiada pela prudência. Desta forma para Aristóteles, os meios, deveriam ser tão bons, justos e corretos quanto os fins que se desejam alcançar.
Aqui começamos a estabelecer a distinção entre as duas éticas, a aristotélica e a maquiavélica. Enquanto na maquiavélica, o que importa é o Fim, finalidade e objetivo que se pretende alcançar, e para tanto não importam os meios que serão empregados para tal ato, na aristotélica, meios e fins tem que seguir o mesmo propósito, ou seja, que os Meios que se pretende empregar para atingir tal fim, finalidade, devam ser tão bons,justos e corretos quanto os fins que se pretende alcançar.
Assim poderíamos afirmar que a ética no sentido maquiavélico, tem uma única preocupação:o poder e a dominação, e para chegar a este poder, não importa os artifícios por mais ardilosos que sejam; aqui a felicidade não conta, ou não é importante; Já na ética aristotélica, o caminho do bem, da justiça devem permanecer juntos para que se consiga atingir o Summum bonnum:a felicidade suprema. Portanto se o meio empregado não é bom ou justo, o fim também não será, por mais que se diga ao contrário.
A partir destas duas éticas podemos analisar, quais princípios têm regido os governos do mundo, bem como a nossa vida em particular. Se na Ética de Maquiavel já está implícito os atributos da violência, em Aristóteles está explícito o caminho da Paz. Basta um olhar para a história sob a ótica destas duas éticas e logo percebemos, qual delas prevalece.
Portanto está em nossas mãos, ou melhor em nossas consciências construir a mudança paradigmática, onde cada ato seja permeado pelo bem na busca do Summum bonnum. Por outro lado devemos nos afastar de toda proposta mirabolante de construir paraísos no futuro, a custa de violência, destruição e morte, ou seja, um inferno no presente.
Que Deus ilumine nossas escolhas!!
(Fonte de pesquisa: Aristóteles- Ética a Nicomaco, e Nicolau Maquiavel- O Príncipe)

José Pedro Idalino

Eu sou o professor Jose Pedro Idalino, e sou natural de Turvo, filho da capital Turvo Baixo. De 1979 a 1985 fui seminarista da Ordem dos servos de Maria. Me formei na PUC do Paraná em 1987 com licenciatura em Filosofia e bacharelado em História e psicologia. Iniciei minha carreira de professor, começando no Pedro Simon em Ermo depois Jorge Shultz e colégio estadual de Turvo atual EEB Joao Colodel, no qual estou a 29 anos e hoje atuo na direção do Colégio pela segunda vez. Trabalhei como professor também em escolas particulares como Objetivo, Energia e Universidades como Unisul, Unibave e Unesc. Na Unesc fiz pós graduação em História e Mestrado em Educação. Atuei como professor por 15 anos em cursos como História, Matemática, letras, arquitetura, enfermagem, Artes visuais, Psicologia, Engenharia de materiais, Pedagogia, Administração comercio Exterior e Direito.