Dezembro em ritmo de formaturas

O mês de dezembro historicamente demarca o final do ano letivo nas escolas brasileiras públicas e privadas e também nas universidades. Ano após ano o ritual se repete para...

Geral
Por: Colunista Geral
IMG-20181224-WA0001

O mês de dezembro historicamente demarca o final do ano letivo nas escolas brasileiras públicas e privadas e também nas universidades. Ano após ano o ritual se repete para milhares de alunos que concluíram o ensino fundamental, o médio e o curso específico da faculdade com a formação de bacharelado e licenciatura. Dá mesma forma que o adolescente do nono ano sonha ingressar no ensino médio, o jovem do ensino médio sonha passar no vestibular para adentrar na universidade, o acadêmico universitário sonha em concluir seu curso e poder exercer sua profissão tão sonhada. Por isso a vida de estudante simboliza acima de tudo um ato de fé e esperança no porvir onde conquistará sua realização pessoal. Só aquele que estuda sabe de quantas coisas teve que renunciar para poder dar conta das atividades propostas, principalmente no ano de conclusão do curso. E os pais que acompanham seus filhos, sabem da angústia, do sacrifício, enfim do trabalho que seus filhos passam para atingir seus objetivos. Com efeito, passar num vestibular, concluir um curso, defender um TCC não configura uma questão de sorte, nas um questão de preparo, do qual se disspendeu muito esforço para se atingir tal fim. Este ano pude testemunhar este fato, primeiramente com minha filha que concluiu o bacharelado do curso de direito na universidade do extremo sul catarinense (UNESC),e depois na qualidade de diretor de escola participar da colação de grau de muitos jovens da EEB João Colodel que concluíram o ensino médio neste ano de 2018. A mesma emoção que senti na solenidade da universidade com minha filha, percebi nos rostos de centenas de pais e mães, orgulhosos pela conquista de seus filhos. O sentimento de que tudo valeu a pena é maior que todo sofrimento que já ficou no passado. Por isso uma solenidade de formatura é um momento mágico, é um rito de passagem onde se alça uma dimensão superior; é como se todo universo conspirasse para premiar a todos, pais, mães e filhos pela perseverança e dedicação. Encerro aqui com minhas palavras finais do discurso de formatura na noite de 21/12 para os formandos da Escola João Colodel: ” Hoje vocês terminam uma etapa, porém outras virão e a vida sempre colocará um desafio a vossa frente; por isso é importante ter fé e esperança num porvir melhor, e não importa o que forem realizar, sempre dêem o melhor de si. Nosso sofrido Brasil precisa de vossa contribuição para solucionar tão grandes desafios. Lembrem-se que todos nós torcemos por vocês. Então não deixem morrer seus sonhos, lutem por eles. Faça sua luz brilhar, levando esperança onde forem. Que o caminho de vocês seja iluminado e abençoado pelo nosso Pai Maior, e que todos sejam felizes!!”
UM FELIZ NATAL A TODOS!!

Fontes:( formaturas: UNESC e EEB João Colodel, discurso de formatura de José Pedro Idalino. Foto: formandos do ensino médio da EEB João Colodel 2018)

José Pedro Idalino

Eu sou o professor Jose Pedro Idalino, e sou natural de Turvo, filho da capital Turvo Baixo. De 1979 a 1985 fui seminarista da Ordem dos servos de Maria. Me formei na PUC do Paraná em 1987 com licenciatura em Filosofia e bacharelado em História e psicologia. Iniciei minha carreira de professor, começando no Pedro Simon em Ermo depois Jorge Shultz e colégio estadual de Turvo atual EEB Joao Colodel, no qual estou a 29 anos e hoje atuo na direção do Colégio pela segunda vez. Trabalhei como professor também em escolas particulares como Objetivo, Energia e Universidades como Unisul, Unibave e Unesc. Na Unesc fiz pós graduação em História e Mestrado em Educação. Atuei como professor por 15 anos em cursos como História, Matemática, letras, arquitetura, enfermagem, Artes visuais, Psicologia, Engenharia de materiais, Pedagogia, Administração comercio Exterior e Direito.