Ano novo e as diferentes datas

Na postagem anterior, colocamos que havia mais de cem datas para a celebração do Natal no decorrer da história. Nao seria diferente também para a comemoração do ano novo,...

Geral
Por: Colunista Geral
IMG-20171231-WA0087

Na postagem anterior, colocamos que havia mais de cem datas para a celebração do Natal no decorrer da história. Nao seria diferente também para a comemoração do ano novo, visto que vários povos construíram seu próprio calendário em base às suas tradições sócio-históricas. Coube ao papa Gregório XIII, estabelecer a substituição do calendário Juliano vigente em Roma e na Europa em 24 de fevereiro de 1582. Este calendário é baseado no movimento do sol tendo como Marco o nascimento de Jesus. O povo chinês possui um calendário de 363 dias e inicia no dia 09 de fevereiro. Para os povos do oriente médio seguidores do Islamismo, o ano inicia em 10 de fevereiro, ano da Hégira(fuga de Maomé de Meca para Medina ocorrido em 1426). Em pleno oriente médio os Iranianos celebram a virada do ano em 21 de março enquanto que para o povo judeu o início do ano é em 04 de outubro tendo por base o ano bíblico de 3761 AC. que segundo eles foi o ano da criação do Universo. Para os Indús, o novo ano inicia em 22 de março com base em seu calendário religioso. A rigor, se aprofundarmos nossa pesquisa, veríamos que diferentes povos em diferentes épocas, construíram calendários maravilhosos e com assombrosa precisão, como por exemplo os sumérios, os caldeus, os romanos, os astecas e maias na América entre muitos outros. Todavia entre todos, temos quatro calendários que historicamente tiveram uma abrangência maior entre os povos; Seriam os calendários Israelita, o muçulmano, o Juliano e o Gregoriano, atual e universalmente adotado; Assim para todos que o adotam, hoje no momento em que escrevo esta coluna é 31/12/17 e véspera de Ano novo. Interessante ressaltar que este calendário homenageia o papa Gregório XIII, que foi responsável pela mudança de duas datas tradicionalmente históricas, o Natal e Ano novo. Na época de Gregório o nascimento de Jesus de 7 de março passa a ser 25 de dezembro, e o ano novo antes comemorado em 1° de abril (em consonância com o primeiro signo zodiacal Áries), agora com Gregório passa a ser 1° de Janeiro. Desta forma o 1° de abril passou a ser o dia da mentira; e no imaginário popular quando havia a indagação sobre o ano começar em abril, logo vinha a resposta: ” É mentira que o ano começa…”
Concluindo diríamos que a contagem do tempo é falha pois não sabemos com exatidão quando nosso mundo foi realmente criado; por isso as controvérsias no campo das datas são imensas. A vantagem de se ter um calendário está na organização dos ciclos da vida humana, assim com as estações do ano organizam a natureza. Se a contagem do tempo nos dá a noção de passado, presente e futuro, por outro lado sabemos que o único tempo que nos pertence é o Presente; Este presente de fato é o grande Presente que o Doador da vida nos dá gratuitamente para que possamos desenvolver nossos potenciais no campo material e também espiritual.
Deixamos aqui um agradecimento especial aos leitores das nossas colunas desejando que os laços entre os sonhos e a realização dos mesmos sejam cada vez mais estreitos em 2018!!
Um ótimo ano novo a todos!!

José Pedro Idalino

Eu sou o professor Jose Pedro Idalino, e sou natural de Turvo, filho da capital Turvo Baixo. De 1979 a 1985 fui seminarista da Ordem dos servos de Maria. Me formei na PUC do Paraná em 1987 com licenciatura em Filosofia e bacharelado em História e psicologia. Iniciei minha carreira de professor, começando no Pedro Simon em Ermo depois Jorge Shultz e colégio estadual de Turvo atual EEB Joao Colodel, no qual estou a 29 anos e hoje atuo na direção do Colégio pela segunda vez. Trabalhei como professor também em escolas particulares como Objetivo, Energia e Universidades como Unisul, Unibave e Unesc. Na Unesc fiz pós graduação em História e Mestrado em Educação. Atuei como professor por 15 anos em cursos como História, Matemática, letras, arquitetura, enfermagem, Artes visuais, Psicologia, Engenharia de materiais, Pedagogia, Administração comercio Exterior e Direito.