Alunos do Proemi visitam Laguna

Nesta última terça 06/11 a EEB João Colodel patrocinou uma saída de campo com a turma do 1°ano inovador. Acompanharam este dia de estudos, o diretor da escola José...

Geral
Por: Colunista Geral
IMG-20181111-WA0042

Nesta última terça 06/11 a EEB João Colodel patrocinou uma saída de campo com a turma do 1°ano inovador. Acompanharam este dia de estudos, o diretor da escola José Pedro Idalino, a assessora de direção Daiane Bozza Rezim, o professores José Domingos Marcello, Márcia Simon, Rita Gnoato, katiana Favarim, Rosana de Mello, Maria de Fátima e Valdete Idalino. Esta viagem foi uma proposição de estudos do professor de geografia da escola José Domingos Marcello, no intuito visitar pontos de relevância tanto históricos quanto geográficos no litoral sul catarinense, mais precisamente em Laguna e Jaguarúna.
Movidos pelo espírito aventureiro, alunos da primeira serie do EMI da E.E.B. João Colodel, juntamente com professores atuantes no projeto visitaram a bela cidade histórica catarinense, Laguna. Iniciaram por uma interessante aula sobre o tratado de Tordesilhas a partir do marco histórico localizado no centro da cidade. Marco este que definiu as terras brasileiras que pertenceriam a Portugal e Espanha no ano de 1493, cuja linha imaginária recaiu na parte sul do Brasil, atual Laguna. Foi também visitado o monumento que homenageia o fundador de Laguna Domingos de Brito Peixoto fato este ocorrido em 29 de julho de 1676. No centro também o museu e a casa de Anita foram visitados externamente, visto estarem em obras de reformas; todavia os feitos da nossa guerreira Anita Garibaldi,como por exemplo a participação nas batalhas decisivas da revolução Farroupilha com os comandantes José Garibaldi e David Canabarro foram lembrados. O grupo não deixou de visitar a antiga Igreja Matriz de Santo Antônio dos Anjos, contendo grande parte de sua arte sacra folheada a ouro. Seguindo o itinerário foi passado pela fonte dos escravos e muitos seguiram a tradição lendária de beber da água da fonte para garantir o casamento para sempre. Próxima a fonte se encontra a velha Figueira , cuja mística reza a lenda “que aquele que der três voltas nela, terá sorte por toda a vida”. Passando pela capitania dos portos o grupo seguiu a barco até o restaurante Maribelle no qual foi apreciado um belo almoço com vista para o canal onde de encontram mais de 35 botos nativos, os quais tem a fama de ajudar os pescadores na pesca, além de divertir os visitantes do local. Para finalizar essa saída que é parte do projeto do Professor de Geografia, o grupo visitou o Farol de Santa Marta e os famosos sambaquis do município de Jaguaruna junto a praia do Camacho. Sambaquis são montes compostos de moluscos (de origem marinha, terrestre ou de água salobra), esqueletos de seres pré-históricos, ossos humanos, conchas e utensílios feitos de pedra ou ossos. É resultado de ações humanas, ou seja, são montes artificiais, com dimensões e formas variadas. Segundo a arqueologia brasileira, em Santa Catarina estão construídos os maiores sambaquis do mundo, datando de um período aproximado de 5.000 anos. Os responsáveis por estes sitios teriam sido os antigos habitantes do litoral catarinense, mais precisamente os tupis guaranis. A palavra “sambaquis” tem origem Tupi, e é a mistura das palavras tamba (conchas) e ki (amontoado) que expressa realmente o que são: amontoados de conchas e areia. A finalidade deles ainda é objeto de estudo da arqueologia, mas se aventa a possibilidade de ser acampamentos provisórios, e também locais de sepultamento dos mortos, visto que muitos corpos foram encontrados em vasos de barro. Desta forma, encerrou- se mais uma saída de campo desta modalidade de ensino médio que objetiva unir a teoria com a prática, valorizando a inovação e a criatividade dos alunos e professores envolvidos no processo. Parabenizamos a escola e responsáveis pela bela iniciativa!!

Fontes: (Lucas Martins / InfoEscola, prefeitura de Laguna, fontes orais)

José Pedro Idalino

Eu sou o professor Jose Pedro Idalino, e sou natural de Turvo, filho da capital Turvo Baixo. De 1979 a 1985 fui seminarista da Ordem dos servos de Maria. Me formei na PUC do Paraná em 1987 com licenciatura em Filosofia e bacharelado em História e psicologia. Iniciei minha carreira de professor, começando no Pedro Simon em Ermo depois Jorge Shultz e colégio estadual de Turvo atual EEB Joao Colodel, no qual estou a 29 anos e hoje atuo na direção do Colégio pela segunda vez. Trabalhei como professor também em escolas particulares como Objetivo, Energia e Universidades como Unisul, Unibave e Unesc. Na Unesc fiz pós graduação em História e Mestrado em Educação. Atuei como professor por 15 anos em cursos como História, Matemática, letras, arquitetura, enfermagem, Artes visuais, Psicologia, Engenharia de materiais, Pedagogia, Administração comercio Exterior e Direito.