7 de abril – Dia da família na escola

A Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina decretou o dia 7 de abril deste ano de 2018 como sendo o dia de aproximação entre pais, alunos junto...

Geral
Por: Colunista Geral
IMG-20180408-WA0119



A Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina decretou o dia 7 de abril deste ano de 2018 como sendo o dia de aproximação entre pais, alunos junto a escola de seus filhos. Este evento já havia iniciado em 2016 em consonância com o dia nacional da família na escola preconizado pelo governo federal, e a cada ano foi realizado em datas diferentes. Nas escolas ligadas a gerência de Araranguá cada escola definiu livremente os períodos de realização; assim enquanto algumas optaram pela parte da manhã, outras optaram pela parte da tarde, mas todas a seu modo realizaram atividades de relevância para toda a família. Quanto a importância deste evento diríamos que ele significa uma tentativa de trazer os familiares ou responsáveis para escola para conhecê-la melhor, conversar com os professores, com a direção da escola, e acima de tudo estabelecer uma relação mais estreita entre estas duas instituições que na realidade são responsáveis pela formação da criança e do jovem adolescente. Enquanto a família fornece uma educação de base, a partir de valores como disciplina, responsabilidade e respeito, os quais estruturam o caráter, a escola por sua vez  tem o compromisso de formação a partir do conhecimento científico erudito e universal.  Desta forma, a escola enquanto instância formadora, também educa pela palavra e pelo exemplo, mas não pode realizar as tarefas que correspondem aos pais. Nos últimos tempos temos testemunhado um certo distanciamento por parte da família em relaçao a vida escolar de seus filhos. A ausência de diálogo entre pais e filhos e o afundamento da grande maioria num mundo cada vez mais virtual das redes sociais, por um lado invade a mente dos nossos jovens com uma carga excessiva de informações e por outro lado   gera um truncamento do processo  de comunicação enfraquecido pela ausência de  diálogo e de presença.  Este isolamento entre pais e filhos reflete de forma direta no comportamento destes na escola;  Se não houver a menor cobrança por parte dos pais em relação aos estudos de seus filhos, por mais que a escola faça sempre vai ficar uma lacuna  a ser preenchida na personalidade de nossos jovens.  Importante ressaltar que na verdade a escola está sempre aberta para visitação dos pais em qualquer tempo. Todavia é sabido que grande parte do comparecimento dos pais está ligado ao chamado da escola em virtude de alguma indisciplina de seus filhos. Por isso a criação do dia da família na escola vem mostrar outra face da instituição, onde todos são convidados à confraternização, a assistir palestras, teatros , brincar com seus filhos, checar a saúde com os profissionais da área e estabelecer relações mais estreitas com toda a comunidade escolar. Muitos parceiros de diferentes areas da comunidade auxiliam a escola neste dia, e com isto todos saem ganhando, pois neste contexto temos um encontro da família, da comunidade e da sociedade na qual estamos todos inseridos. O que a escola  deseja é uma aproximação cada vez maior entre ela e a família para que mediatizado pelo diálogo possam juntos resolver os graves problemas que assolam nossa sociedade e a educação de nossos filhos!!

José Pedro Idalino

Eu sou o professor Jose Pedro Idalino, e sou natural de Turvo, filho da capital Turvo Baixo. De 1979 a 1985 fui seminarista da Ordem dos servos de Maria. Me formei na PUC do Paraná em 1987 com licenciatura em Filosofia e bacharelado em História e psicologia. Iniciei minha carreira de professor, começando no Pedro Simon em Ermo depois Jorge Shultz e colégio estadual de Turvo atual EEB Joao Colodel, no qual estou a 29 anos e hoje atuo na direção do Colégio pela segunda vez. Trabalhei como professor também em escolas particulares como Objetivo, Energia e Universidades como Unisul, Unibave e Unesc. Na Unesc fiz pós graduação em História e Mestrado em Educação. Atuei como professor por 15 anos em cursos como História, Matemática, letras, arquitetura, enfermagem, Artes visuais, Psicologia, Engenharia de materiais, Pedagogia, Administração comercio Exterior e Direito.