2018 e a numerologia

Desde tempos imemoriais muitos povos tem utilizado o recurso dos números para desvendar segredos da natureza e da vida, bem como auxiliar na tomada de decisões, como por exemplo...

Geral
Por: Colunista Geral
IMG-20180105-WA0129

Desde tempos imemoriais muitos povos tem utilizado o recurso dos números para desvendar segredos da natureza e da vida, bem como auxiliar na tomada de decisões, como por exemplo a escolha de uma profissão ou casamento. A numerologia tem seu ponto alto com o filósofo e matemático grego Pitágoras, que afirmava o poder dos números em todos os aspectos da vida humana bem como na harmonia do universo, seguindo a sequência de 1 a 9. A máxima pitagórica de que ” a evolução é a lei da vida, o número é a lei do universo e a unidade é a lei de Deus”, mostra como este filósofo valorizava a ciência dos números. Também afirmava que Deus é o 1(uno), e o homem é zero vírgula (0,) que dependendo de suas escolhas pode vir a ser apenas 0,0 ou 0,999.. que matematicamente equivale a um(1) e portanto muito próximo de Deus.
Para o cálculo dos números a partir dos nomes pessoais, os numerólogos se utilizam de uma tabela de conversão envolvendo as letras do alfabeto e os números de 1 a 9. Seriam:
1- A J S
2- B K T
3- C L U
4- D M V
5- E N W
6- F O X
7- G P Y
8- H Q Z
9- I R
Desta forma para saber o número do seu nome basta seguir a tabela e fazer a conversão. Por exemplo: Vera da Silva(4+5+9+1+4+1+1+9+3+4+1)=42 que se desdobra em 4+2= 6. Portanto esta pessoa carrega a energia do número seis (seis). Lembramos que a numerologia segue uma sequência de 1 a 11, sendo que o 10 simbolizando a perfeição máxima, não é contabilizado.
E para o ano de 2018, qual seria a regência numérica? O resultado se consegue a partir da soma:
2+0+1+8= 11 que por sua vez pode ser desdobrado em 1+1= 2. Desta forma alguns numerólogos consideram que o ano carrega tanto a energia do 11, bem como da energia do 2. Um ano sob a regência do 2 segundo a numerologia carrega a energia para ” cooperar, acalmar e pacificar”, enquanto na regência 11, a energia se volta para a liderança, a criatividade e a construção. Se observarmos atentamente veremos que o nosso país necessita destas duas energias para poder superar os imensos desafios nos campos da política, da saúde, da economia e também da educação. Este ano sob regência de Júpiter(maior planeta), ou Zeus dos gregos considerado o Deus dos deuses,já indica a necessidade de uma governança firme, mas que também seja justa e generosa no sentido de aliviar os sofrimentos de nosso povo, e ao mesmo tempo abrindo os caminhos para a prosperidade e evolução; característica esta marcante na personalidade de Zeus junto aos seus comandados no Olimpo.
(Fonte de pesquisa:Autores, Aparecida Liberato e Beto Junqueira; Pitágoras e a matemática)

José Pedro Idalino

Eu sou o professor Jose Pedro Idalino, e sou natural de Turvo, filho da capital Turvo Baixo. De 1979 a 1985 fui seminarista da Ordem dos servos de Maria. Me formei na PUC do Paraná em 1987 com licenciatura em Filosofia e bacharelado em História e psicologia. Iniciei minha carreira de professor, começando no Pedro Simon em Ermo depois Jorge Shultz e colégio estadual de Turvo atual EEB Joao Colodel, no qual estou a 29 anos e hoje atuo na direção do Colégio pela segunda vez. Trabalhei como professor também em escolas particulares como Objetivo, Energia e Universidades como Unisul, Unibave e Unesc. Na Unesc fiz pós graduação em História e Mestrado em Educação. Atuei como professor por 15 anos em cursos como História, Matemática, letras, arquitetura, enfermagem, Artes visuais, Psicologia, Engenharia de materiais, Pedagogia, Administração comercio Exterior e Direito.